quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Faz-de-conta.


Fingimos, disfarçamos, ocultamos. Sempre inibimos os sentimentos mais honestos. Somos coração batendo em desarmonia com o semblante, somos tentativa imbecil de orquestrar a vida. Somos paixão dissolvida, emoção enrustida. Somos a firula, o exagero. Somos o medo de ser, somos o mesmo clichê. Somos mentira, tanto eu quanto você.

2 comentários:

Thiago Damasceno disse...

Inibimos, uma pinóia!
Eu te amo!
Ponto!

Luciana Rocha disse...

E cá??? Amo tanto q não dá pra inibir "porrah niuma".